Audioquest lança os primeiros auscultadores do mundo produzidos com impressão 3D

by Fiorentina on 08/08/2015
Notícias

Vencedores do prémio de inovação da CES 2015 (categoria Eco Design e Tecnologia Sustentável), os Audioquest NightHwak representam não só o assalto da marca norte-americana ao estado-da-arte dos auscultadores mas também um teste aos limites em que a qualidade absoluta pode ser oferecida a um preço acessível.

Cada faceta destes auscultadores – a começar pela sua estética ao mesmo tempo elegante e inovadora – foi cuidadosamente otimizada para níveis superiores de desempenho sónico, estético e ergonómico.

A Audioquest repensou totalmente a forma de criar auscultadores nesta gama de preços e a sua atenção aos detalhes surge em pormenores como a grelha difusora impressa em 3D – uma tecnologia usada pela primeira vez num modelo de auscultadores totalmente novo.

Uma vez que estes auscultadores têm um desenho semi-aberto, esta peça – a que a Audioquest chama “grelha biomimética” – utiliza uma complexa estrutura em forma de diamante, para dissipar o som e evitar ressonâncias, que seria impossível de produzir utilizando qualquer outra tecnologia.

As cápsulas do NightHawk foram também objeto de particular atenção, tendo a Audioquest usado um material especial na sua produção, designado “Madeira Líquida”, que possui impressionantes propriedades acústicas ao mesmo tempo que é sustentável e amigo do ambiente.

Estas cápsulas foram produzidas de acordo com técnicas inspiradas na produção de caixas de colunas, incluindo traves internas de suporte para melhorar a integridade estrutural e minimizar ressonâncias e vibrações indesejadas.

Um revestimento com material elastómero foi cuidadosamente aplicado às superfícies interiores de forma a reduzir vibrações indesejadas ao mesmo tempo que um material de amortecimento – composto por uma mistura de lã e poliéster – oferece uma mais natural e suave resposta de frequência.

Montados nestas cápsulas encontramos altifalantes de 50mm com movimento de pistão que incorporam um diafragma de biocelulose, cujo desempenho tira partido da incrível rigidez deste material e do seu caráter inerte face a ressonâncias ou pontos de quebra.

A bandolete do NightHawk – um ponto muitas vezes descurado pelos fabricantes de auscultadores – foi concebida de forma igualmente cuidada, de maneira a não só distribuir o peso dos auscultadores como a modular a força sobre os ouvidos durante sessões prolongadas de audição.

O sistema de suspensão patenteado do NightHawk permite às cápsulas moverem-se livremente, de forma a acomodar qualquer formato e tamanho de cabeça, ao mesmo tempo que desacopla as cápsulas para evitar ressonâncias indesejadas.

Finalmente, o cabo. O último elemento de ligação dos auscultadores à fonte sonora foi objeto da mesma atenção ao detalhe do resto do equipamento – não fosse a Audioquest uma empresa com mais de 30 anos de experiência na produção de cabos audiófilos de alta qualidade. Desde ao material usado na sua construção – condutores em SPSC (Solid Perfect-Surface Copper) e isolador em espuma de polietileno – até às fichas de ligação, tudo foi objeto da mesma atenção ao detalhe colocada em todos os aspetos da conceção dos NightHawk.
Já disponíveis em Portugal através da Esotérico, os Audioquest NightHawk têm um PVP sugerido de €599.

O que achas do nosso artigo?
Muito Bom
0%
Bom
0%
Médio
0%
Pacifico
0%
Comments
Leave a reply

Leave a Response